quinta-feira, 30 de junho de 2011

Sandy - Quem eu sou


"... A vida é assim, não vem com manual e só perde quem não corre atrás,
Quem não joga o jogo, por ter medo de errar..."

Ra Ra Riot - Can you tell


Produção desse vídeo um pouco simples, mas a música é linda!

"VOCÊ PODE DIZER"

"...O que devo fazer, é difícil ficar calmo, quando você sorri para mim e eu fico nervoso toda vez que você fala...
...Quando eu olhos em seus olhos, eu tendo a perder os meus pensamentos..."

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Soldados surpreendendo seus entes queridos


Não tem como não se emocionar com esse vídeo!
São vídeos de soldados do exército americano voltando para casa.

"E eles nos vêem:
e vamos cair em cima de seus pescoços,
e cairão sobre nossos pescoços,
e vamos beijar."

Moisés 7:63

Saramago #tirinhas


terça-feira, 28 de junho de 2011

Jô Soares entrevista Padre Juarez de Castro (Bom D+)




Muito bom essa entrevista, e do ponto de vista celestial eu concordo, o Céu não é um monte de fumacinhas irritantes e nem anjos tocando harpa pra toda eternidade..rss Já sou fã desse Padre...

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Pensamentos


Sei que essa já é bem conhecida, mas vale apena ler de novo!

O novo contrato publicitário de Rogério Ceni f




O jogo de ontem fez parte de nova estratégia de marketing do São Paulo Futebol Clube.
Depois de ver a Seara ficar conhecida pelo apoio ao futebol do Santos,
a Sadia resolveu patrocinar o SPFC, usando como garoto propaganda seu goleiro e símbolo maior.
Rogério já prometeu novas “homenagens” nos próximos jogos.

Fonte: Pavablog

Frase do dia



 Cão bravo e perdido. Se alguém achar sinceras desculpas. =)


Magali... a funcionária exemplo!


Sua empresa não está tendo um lucro bom?
Você precisa fazer alguma divulgação diferente, mas não consegue um funcionário fiel para prestações de serviços?
Contrate a Magali!
Ela tem um ânimo de causar inveja, dança e panfleta ao mesmo tempo!
Está esperando o quê? Contrate a Magali! kkkkkkkkkkk #rimuito
detalhe nos 4:07 (momento exorcismo) kkkkkkkkkkk

Pra começar a segunda de bom #humor



sengihnampakgigisengihnampakgigisengihnampakgigi

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Jeito que Homens resolvem problemas

A decolagem foi perfeita mas........


Não gosto de rir da desgraça dos outros, mas por favor alguém precisa avisar esse rapaz que ele não tem asas =) (juro não to rindo) =) 

Ps - Se alguém tiver noticia desse moço deixe um comentário =) Nossa coitado....

Escarificação


Tem coisas que eu realmente não compreendo! Longe de mim fazer julgamentos ou coisas do tipo, mas essa mutilação deve doer muito, ai a minha pergunta é: O prazer esta na dor, na cicatriz ???

Maria Rita - Num corpo só

Katy Perry - Last Friday Night (T.G.I.F)


Hoje é sexta-feira, começo do fim de semana, vamos nos divertir!
Um ótimo fim de semana a todos, não façam como a Kathy Beth Terry, rsrsrs, e sim um pouco mais...

"Última sexta-feira, sim, nós dançamos em cima de mesas e bebemos muitas doses, acho que nos beijamos, mas eu esqueci..."

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Desproporcional !!!


O injusto não é o jogador ganhar mais, mas está na falta de insentido para quem arrisca perder a própria vida pra salvar outras. Pense Nisso!

Sigilo de documentos: este é um país que vai pra frente

O texto abaixo é de autoria do Jornalista Leandro Sakamoto e que texto maravilhoso, mas antes escrevo em poucas linhas, esse dos caras querer esconder os documentos que revela histórias passadas do nosso país não passa de caras escondendo as próprias atrocidades passadas. Segue o texto...

Não conheço pessoa que, tendo amado intensamente ou vivido uma dor muito forte, não pensou, pelo uma vez, na possibilidade de ter suas memórias arrancadas fora em um passe de mágicas. Considerando que deve levar um tempinho ainda até que desenvolvam um aparelho como o do filme “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”, perguntei a uma médica-amiga se já haviam inventado remédio para acentuar o esquecimento. E, caso positivo, e se ela poderia me deixar receitadas uma ou duas caixas – nada demais, apenas para as intempéries do dia-a-dia. Ora, por que não? Inventam pílulas para tudo, de ereção prolongada até suadouro nas mãos! Com um sorriso, ela me lembrou que tal remédio já existe e é consumido pela humanidade desde que o primeiro hominídio percebeu que comida fermentada dá barato.
É claro que todos os percalços fazem parte da caminhada de cada um e da grande marcha de uma sociedade e que, portanto, são importantes no processo de aprendizado. Mas e quando a lição já foi entendida e a lembrança, não resolvida, continua a martelar nosso cotidiano?
Dia desses, trouxe aqui a história de Maria Francisca Cruz, uma “quase” viúva. Seu marido foi trabalhar na Amazônia, deixando para trás sete filhos e o silêncio. Enveredou-se por outro colo? Está preso? Tem medo de voltar? Falam que morreu tentando fugir de uma fazenda… Quem sabe? O problema é que dor maior não é saber que acabou. É não ter certeza disso.
Acordar de manhã sem alguns pressupostos básicos é angustiante. Imagine, então, aguardar o retorno de alguém que nunca aparece. Conheço gente cujos pais foram sumidos pela Gloriosa. A família parou no tempo, porta-retratos não saem do mesmo lugar em que estavam desde quando ainda éramos 90 milhões em ação.
O governo brasileiro resolveu não mais tentar buscar a revisão da Lei da Anistia. Mais do que punir torturadores, seria uma ótima forma de colocar pontos-finais em muitas das histórias em aberto e fazer com que pessoas tivessem, pela primeira vez em décadas, uma noite de sono inteira. A Presidência da República diz que vai investir suas fichas na Comissão da Verdade, que deve ser criada pelo Congresso Nacional. Deputados? Senadores? Sei… Ao mesmo tempo, o governo insiste em manter trancados a sete chaves documentos considerados ultrassecretos, além de inventar desculpa atrás de desculpa para não vomitar os arquivos da ditadura. Garantindo que açougueiros daquele tempo, como o Coronel Ustra, possam continuar reinventando a história como quiserem, pois a prova dos nove está encaixotada em algum lugar.
Em nome de uma suposta estabilidade institucional, o passado não resolvido permanece nos assombrando. E me incomoda menos o país como um todo e mais o olhar perdido da mãe de um amigo que, da janela, permanece a esperar.
Isso tudo com a ajuda de colegas jornalistas, que esqueceram que a função primeira da profissão não é ajudar restolhos da ditadura sob a justificativa de garantir estabilidade institucional, mas trazer à tona o que está submerso. Repetem ad nauseam: “Não é hora de mexer nesse assunto”. Falam em longo prazo. Mas, no longo prazo, todos estaremos mortos.
Em dezembro passado, a Corte Interamericana de Direitos Humanos concluiu que o Brasil é responsável pelo desaparecimento de 62 pessoas entre os anos de 1972 e 1974, durante a Guerrilha do Araguaia. Disse que a Lei da Anistia impedem o acesso à verdade dos fatos e pediu que ela fosse revista. Nesse caso, o Supremo Tribunal Federal deu de ombros.
Uma pesquisa do Datafolha no ano passado apontou que 45% da população é contrária à punição de agentes que torturaram presos políticos durante a ditadura militar contra 40% a favor. Outros 4% são indiferentes e 11% não souberam opinar. Agarro-me desesperadoramente à esperança de que o pessoal não entendeu exatamente do que se tratava.
Pois o impacto de não resolvermos o nosso passado se faz sentir no dia-a-dia dos distritos policiais, nas salas de interrogatórios, nas periferias das grandes cidades, nos grotões da zona rural, com o Estado aterrorizando parte da população (normalmente mais pobre) com a anuência da outra parte (quase sempre mais rica). A ponto de ser banalizada em filmes como Tropa de Elite, em que parte de nós torceu para os mocinhos que usavam o mesmo tipo de método dos bandidos no afã de arrancar a “verdade”.
A justificativa é a mesma usada nos anos de chumbo brasileiros ou nas prisões no Iraque e em Guantánamo, em Cuba: estamos em guerra. Ninguém explicou, contudo que essa guerra é contra os valores que nos fazem humanos e que, a cada batalha, vamos deixando um pouco para trás. Esse é o problema de sermos o país do “deixa disso” ou mesmo do “esquece, não vamos criar caso, o que passou, passou” e ainda do “você vai comprar briga por isso? Ninguém gosta de briguentos”. Enquanto não acertarmos as contas com nossa história, não teremos capacidade de entender qual foi a herança deixada por ela – na qual estamos afundados até o pescoço e nos define.
A verdade é que não queremos olhar para o retrovisor não por ele mostrar o que está lá atrás, mas por nos revelar qual a nossa cara hoje. E muitos de nós não suportarão isso.
O presidente do Senado, que defende o sigilo dos documentos da ditadura do qual fez parte, por exemplo. Mas, e agora José? O que eu faço para esquecer?

Urso Polar Ninja!!!


Passou raspando ufffaaaa

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Coice de Jegue


Deve estar doendo até hoje..rs

Mas que p#$%¨& é essa?



kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Putz é muito chato jogar com essa cara

Rá..eié-eié - A vingança !!!


kkkkkkkk - gostei .. ri pra ca.....ramba

Lições que se aprende com filmes






Que maldade gente..rss (amor te amo)





sábado, 4 de junho de 2011

AIDS - ??? !!!! é possível .....



Ela concordou em ser filmada por 90 dias, o documentário mostra a evolução do tratamento. Sem preconceito, amor, carinho e tratamento é possível trazer qualquer pessoas com o vírus HIV a normalidade da vida.


Comece vencendo preconceitos - eu já comecei e você?


Valew Osvaldo pela dica.

Maria Benthânia e o Blog do Milhão (stand up comedy)

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Ruim de mira!!!



Papai você esta fazendo isso errado #FAIL

Súplica Cearense - O Rappa - Por Caroline Escobar

O Rappa - Súplica Cearense from Yan Motta on Vimeo.


Indicação e seleção de Caroline Escobar

Firework - Katy Perry - Por Caroline Escobar

Mais um VídeoClip carinhosamente selecionado por Caroline Escobar 





Simplesmente D+!  Para ler a tradução do clipe clique AQUI!  

Canivete suiço para mulheres

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Flores em vida (Paulo César Baruk)

Fazia muito tempo que não era tocado por uma música!!!

De flores em vida em quanto é dia... não se martirize por conta do seu passado não se pode alcança-lo, de um modo ou de outro desconsideramos que a unica coisa que temos é esse MOMENTO, o AGORA!